Author: Betânia Uchôa e seu universo in versos
•14:43:00


O ENAMORADO DAS ROSAS


Toda manhã, ao sol, cabelo ao vento,
Ouvindo a água da fonte que murmura,
Rego as minhas roseiras com ternura,
Que água lhes dando, dou-lhes força e alento.

Cada um tem um suave movimento
Quando a chamar minha atenção procura
E mal desabrochada na espessura,
Manda-me um gesto de agradecimento.

Se cultivei amores às mancheias,
Culpa não cabe às minhas mãos piedosas
Que eles passassem para mãos alheias.

Hoje, esquecendo ingratidões mesquinhas,
Alimento a ilusão de que essas rosas,
Ao menos essas rosas, sejam minhas.

(Olegário Mariano)
This entry was posted on 14:43:00 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

1 comentários:

On 10 de abril de 2012 10:08 , Anônimo disse...

achei muito bonito,falta entender um pouco mais,pois tem partes que não dão entendimento com o versotodo.esta bom...